HOME    AGENDA    COLUNAS    GATAS    CONTRATE O SITE   CONTATO
Carregando Carregando Carregando

Colunas

» Felipe S. Machado Junior
Felipe S. Machado Junior
Professor universitário de fotografia e design para graduação e pós-graduação. Coordenador do Curso de Design e do Curso de Pós-graduação em Design e gestão da Marca: Branding da Unochapecó. Consultor técnico sobre câmeras e equipamentos fotográficos, fanático por Photoshop.

felipestanque-blogger@yahoo.com.br

Skype: felipe.stanque
+ artigos de Fotografia

Maycon Tormen
Automotivo
Maycon Tormen
Leonardo Radin
Chapecoense
Leonardo Radin
Felipe Vendruscolo e Francini C. Martins
Dra. Grasiela Bonfanti
Estética e Saúde Bucal
Dra. Grasiela Bonfanti
Tatiane Alves
Fatos & Relatos
Tatiane Alves
Josi Vizzotto
Make Up
Josi Vizzotto
Douglas Foschiera
Música Sertaneja
Douglas Foschiera
Clic Notícias
Notícias
Clic Notícias
Ana Paula Bolis Bassani
Rock 'n' Roll Indie
Ana Paula Bolis Bassani
Pahola B. Cassol
Sustentabilidade no dia-a-dia
Pahola B. Cassol
Arthur Rogoski Gomes
Regiane Dalarosa
Tendências em Acessórios
Regiane Dalarosa

Câmera fotográfica digital de uso semi-profissional: qual escolher? (19/09/2012)

Este artigo é um upgrade de um dos textos mais lidos no meu blog, que agora posto também aqui no Clic-Chapecó.

 

Se você é iniciante em fotografia e quer uma câmera fotográfica "avançada" que permita até uso em estúdio fotográfico (conectando flashes externos) com precisão e extrema qualidade de imagem, dou as dicas abaixo.

Seguidamente algumas pessoas me pedem sugestões de modelos de câmeras fotográficas "um pouco melhores e não tão caras", que permitam desempenho e controle semelhantes àquelas grandalhonas que os profissionais exibem em punho. Enfim, desejam ter as conhecidas "semi-profissionais".  

O fato é que amadores entusiastas da fotografia estarão sempre insatisfeitos com as limitações das câmeras pequenas (point-and-shoot) e desejarão ingressar no universo das SLR (Single Lens Reflex) digitais para melhor fotografar eventos sociais e natureza, etc, libertando-se de fotos borradas, ruidosas e "empasteladas". Mas qualidade tem seu preço! Nesta hora, é preciso lembrar que, antes de tudo:

- A melhor câmera é aquela que cabe no seu poder aquisitivo (se não puder adquirir uma nova, compre uma usada);

- A melhor câmera é aquela que pode estar sempre com você, literalmente, sem lhe atrapalhar. As câmeras, quanto mais profissionais forem, maiores tenderão a ser. Câmeras semi-profissionais exigem bolsas para o transporte do corpo e das objetivas e, por isso, podem acabar virando um transtorno. Por exemplo, se você vai à uma festa para celebrar, e não para trabalhar como fotógrafo, não seria ótimo ter uma pequena câmera reserva que caiba sempre no bolso da sua calça ou casaco, ou dentro da sua bolsa? Pense nisso.

- É o fotógrafo e o uso que ele faz de uma câmera que permitem gerar resultados com qualidade satisfatória, ditos "resultados profissionais". Dependendo do know-how, uma excelente foto será garantida até mesmo com uma câmera super simples, não é mesmo? Quando refiro-me às câmeras de uso "profissional" falo sobre câmeras de extrema precisão óptica e técnica que são exigidas por legítimos trabalhadores do universo da foto.



Uma câmera para uso realmente semi-profissional deve permitir controlar, basicamente:

- Abertura (controle do diafragma).

- Tempo de exposição ou "velocidade" (controle do obturador).

- Sensibilidade do sensor ISO/ASA.

- "Balanço de branco" ou "balanço de cores".

- Resolução igual ou preferencialmente acima de 6 megapixel.

- Gravação de arquivos em modo "cru" (conhecido por raw), ou seja, gravação da imagem pura que o sensor capta e sem adição de qualquer processamento de nitidez, ajuste de cores, compactação, contraste, efeitos do tipo "sépia", "cores vívidas", "filme antigo", etc.

- Sapata para flash externo.

- Foco e "zoom" manual direto na objetiva, e com 

- possibilidade de câmbio de objetiva (objetiva = lentes + diafragma + estabilizador de imagem + mecanismo de focagem).

Por fim, uma câmera que tenha os recursos que uma SLR digital possui.

E se você quer uma câmera fotográfica SLR que grave vídeo, hoje todas o fazem, felizmente!

Uma coisa é certa: a câmera "avançada" não será sinônimo de câmera de baixo custo, pois deverá ser no mínimo um equipamento semi-profissional. Câmeras "baratas" só lhe deixarão frustrado. Pense que depois, daqui a alguns anos, você poderá revender seu equipamento de uso semi-profissional por um belo preço. 

 

Qual é a melhor marca?

Os equipamentos da marcas líderes são muito similares em qualidade e confiabilidade. Canon, Nikon, Olympus e Pentax são ótimas (a maioria dos consumidores não-profissionais no Brasil não está familiarizado com estas marcas). A Sony entrou há menos tempo no ramo, comprando o setor de fotografia da Minolta, e tem equipamento maravilhosos, mas ainda caros no Brasil. No quesito assistência técnica em território brasileiro, marcas como Sony, Canon e Nikon são uma excelente opção para os consumidores. Câmeras adquiridas fora do Brasil podem ter problemas com garantia, reparo, manutenção em geral e contratação de seguro contra danos e roubo.

Abaixo, um pequeno resumo que elaborei. 

 

Point-and-shoot digitais

Vantagens:

  1. Pequenas, leves e discretas.
  2. Gravam som e vídeo muito bem.
  3. Fácil manuseio.
  4. Preço baixo.

 Desvantagens:

  1. Apresentam alta capacidade de "zoom" (aproximação do alvo), porém com qualidade óptica bem menor que das objetivas das SLR.
  2. Qualidade de imagem deixa a desejar para profissionais.
  3. Controles de captura limitados.
  4. Equipamento não é robusto para profissionais (na verdade, não passam de "brinquedos").
  5. Shutter lag demasiado (diferença de tempo entre o aperto do botão e o disparo efetivo da imagem).


SLR digitais

Vantagens:

  1. Suas objetivas apresentam altíssima qualidade óptica, ideal para profissionais.
  2. Controles de captura completos.
  3. Robustas e duráveis para profissionais.
  4. Existência de muitos acessórios para personalizar o uso (objetivas, baterias, filtros, flashes, cases, etc).
  5. Shutter lag muito pequeno, quase inexistente!

Desvantagens:

  1. Controles complexos para muitos dos iniciantes e usuários ocasionais;
  2. Altos preços para corpos, objetivas, flashes e acessórios; Se for para usro profissional, em poucos trabalhos a câmera já conseguirá se pagar. Pense nisto!
  3. Grandes e pesadas. Exigem cases especiais para proteger contra sujeira, umidade, impactos, variações de temperatura, etc.

 

As comparações feitas pelo site Digital Preview mostram bem os diferentes desempenhos entre point-and-shoot e SLR.

Por fim, se você não usará a câmera para fazer dinheiro, cuide para não investir em um equipamento que não se pagará e, além disto, será substituído no mercado em um ano por outro modelo mais recente do mesmo fabricante.

Abraço amigo, e boas fotos!


 

Felipe Stanque Machado Junior
Expert em tratamento de imagens digitais 
Professor de Fotografia e Design/Desenho industrial 

 

©2012 Felipe Stanque Machado Junior


Postado em 19/09/2012 por Felipe S. Machado Junior
Clic-Chapeco.com.br - Todos os direitos reservados